Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Poetar-te

Poetar-te

6

Começa agora a apropriação das fórmulas (o mito requer, aliás, a fórmula pura, é o momento expurgatório das outras verdades). Um pronome repete à exaustão o agudo momento da perda. Revisitamos o mundo com o olhar para dentro – e é dolorosa a apropriação alheia dos espaços reservados. Afinal, há caminhos inversos que nos esperavam há muito.

Começa agora a apropriação equívoca das fontes. A palavra, o momento, a grata recordação reservam-se para uma exposição que é mundana, e fere. As nossas almas reclamam o salário de um amor profundo, quantas vezes à distância de uma estranha renúncia – e as letras desse alfabeto maldito são o lume onde ardem as palavras antigas.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Favoritos

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub